Diário de Teresina - Informação com qualidade! Diário de Teresina - Informação com qualidade!

Utopia FM - Diário de Teresina - Informação com qualidade!

'Quero servir de exemplo', diz detento aprovado em matemática na Uespi

Detento diz que apoio da família foi fundamental para aprovação na Uespi. Segundo a Sejus, 18 presos do PI foram aprovados em cursos superiores.


'Quero servir de exemplo', diz detento aprovado em matemática na Uespi

Preso há quatro meses pelo crime de tráfico de drogas, Juliano Pereira (nome fictício), foi aprovado e está matriculado para o curso de matemática da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), em Teresina. “Meu objetivo é terminar o curso, quero dar essa alegria para os meus pais, ter êxito no futuro. Quem sabe servir de exemplo para outros presos, para que eles possam também tomar essa mesma iniciativa de estudar e sair daqui para um lugar melhor”, disse.

Juliano foi um dos 18 detentos aprovados para cursos superiores através do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL), edição 2016. Segundo a secretaria de Justiça (Sejus), além de matemática, os presos obtiveram pontos para concorrerem aos cursos de direito, administração, ciências biológicas, geografia, letras, jornalismo, pedagogia, história e secretariado.

Taxista por 10 anos, preso pela primeira vez, casado, pai de um jovem de 12 anos, ex-estudante de escola particular de Teresina, Juliano atribui sua aprovação à boa formação que teve e ao apoio de sua família.

“Eu fiz ensino médio completo em escola particular, entrei no nível superior várias vezes, mas em decorrência do nascimento do meu filho e de precisar trabalhar, nunca conclui os cursos. (Estar preso) É uma situação muito difícil. A minha família tem me dado todo o suporte e atenção necessária, só tenho a gradecer. Foi meu pai quem me falou da aprovação, ele ficou muito feliz”, contou.

Sobre a preparação e realização da prova do Enem, o detento disse que pouco estudou durante o período recluso na Casa de Detenção Provisória, localizada na cidade de Altos, a 30 km de Teresina. “Meu pai me deu uma apostila e aqui eu leio muito, até porque temos muito tempo ocioso. A prova foi complicada, com questões grandes e toda contextualizada”.

Segundo dados da secretaria de Justiça do Piauí, em 2015 e 2016, o ensino nos presídios do Piauí atingiu o percentual de crescimento de 292%, em comparação a 2014, alcançando 20% das pessoas privadas de liberdade no estado. Para o Enem PPL 2016, a Sejus inscreveu 478 detentos de 14 unidades penais do estado .

Sobre o início das aulas, Juliano disse que teme o preconceito que poder haver por parte dos outros alunos. “Tenho medo da discriminação, mas com o apoio que tenho dos meus familiares, acredito que o medo é amenizado. Trabalhei como taxista por 10 anos e nunca tive nenhuma ocorrência. Quero me formar e sair”, finalizou Juliano, que está preso provisoriamente.

Do G1

Conteúdo relacionado