Diário de Teresina - Informação com qualidade! Diário de Teresina - Informação com qualidade!

Utopia FM - Diário de Teresina - Informação com qualidade!

Obrigatoriedade da prova de redação em concursos do Piauí

A lei já foi aprovada na Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Wellington Dias.


Obrigatoriedade da prova de redação em concursos do Piauí

Uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Piauí e sancionada pelo Governador Wellington Dias divide opiniões de professores e candidatos que prestam concurso público no estado. A lei já foi publicada no Diário oficial e estabelece a obrigatoriedade da prova de redação nos próximos concursos do públicos no Piauí.

Depois de vários concursos anulados, o governo do estado decidiu fazer uma mudança e incluir a prova de redação nos certames realizados no Piauí. Esta medida está sendo considerada uma estratégia para reduzir as fraudes. O projeto é do deputado estadual João de Deus (PT) e determina ainda que os candidatos só deixem as salas de aulas depois de 70% do tempo estipulado para o encerramento da prova.

Gerson Ferreira considera a medida importante para burlar as fraudes, já que demonstra o caráter subjetivo da pessoa. "Esta prova serve também para avaliar a questão gramatical e o entendimento do candidato", disse.

Amparo Alves também aprovou a mudança. Para ela, a aplicação da prova de redação evita fraude por parte da própria banca organizadora. Para o professor Ericson Monteiro a existência da lei é um benefício para o candidato que estuda e se dedica para o concurso. "Esta lei não vai acabar com as fraudes, mas acredito que vai diminuir bastante. Isso permite que os alunos fiquem mais atentos e se dediquem mais".

A nova legislação divide opiniões, pois há quem não concorde com a forma de correção destas redações. "Meu medo é a forma como esta redação será corrigida porque serão dezenas de professores que irão corrigir de forma subjetiva as redações de milhares de candidatos. Por que não é possível dizer que os critérios dos professores serão os mesmos no momento da correção", afirmou o professor Ismar sampaio.

Conteúdo relacionado